Um pulo na Pop arte, dois ilustres do movimento: Roy Lichtenstein e David Hockney.

Olá meus belos!

Trago aqui rapidamente uma nota com traços da Pop Arte. Citando de forma breve dois dos meus artistas/autores favoritos.

Sabemos que o movimento que eclodiu nos Estados Unidos e na Inglaterra em 1955 , se converteu em estilo característico nos anos 60.

O termo Pop Art (abreviação das palavras em inglês Popular Art) foi utilizado pela primeira vez em 1954, pelo crítico inglês Lawrence Alloway, para denominar a arte popular que estava sendo criada em publicidade, no desenho industrial, nos cartazes e nas revistas ilustradas.

Embora eu não seja um fã completo do estilo, admito que acho sim muito interessante. Sei que deveria citar o ilustre Andy Warhol (quem não conhece o cara das latinhas de sopa de tomate com a boa técnica do Ben-Day? incríveis!) mas como já frisei, destacarei aqui apenas dois dos expoentes. (quem sabe se houver uma próxima ele não entra né?)

Fato é que sou um amante de HQs, (fummetis em especial) e Roy Lichtenstein usava da linguagem das mesmas para expressar o tal sentimento de crítica irônica, através da arte. E isso me faz observar com apreço cada obra sua.

David Hockney tem uma forma muito agradável no tocante às formas e cores bem chamativas (que eu vejo uma pegada com formas a la Romero Britto, opinião minha ok?) e isso me cativa de igual modo. Prende minha atenção de forma homogênea, me amarro!

David Hockney, Garrowby

(Gosto muito dessa, preferida inclusive.)

David Hockney, Campo de trigo.

(Explendida!)

David Hockney, auto retrato. (Curti o óculos.)

E aqui uma obra de grande pesquisa artística. “O Conhecimento Secreto”, nos explica como tenta redescobrir as técnicas perdidas dos grandes mestres, mostrando seu fascínio pela pintura, pelo mágico universo surgido da capacidade e necessidade que tem o homem de representar a realidade e de inventá-la. O outro é a artista plástica Jandira Lorenz com suas obras em preto e branco de intenso grafismo. Professora de história da arte, que em sua produção revela sobrevivências, sintomas de sua experiência com os estudos em arte.” Vale muito a pena essa leitura :). Um bônus abaixo de uma de suas obras.

Jandira Lorenz. (Não consegui o nome desse quadro, mas me é muito belo e de uma atmosfera de tranquilidade.)

O ilustre Roy Lichtenstein. (Estiloso o cara, eim.)

Drowning girl, 1963. (Eis a minha preferida dele. Sim, a garota prefere se afogar do que ligar pro tal Brad. Ironia? Um forte orgulho quem sabe...)

E é isso, até mais com mais meus belos ;)!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s